Naturalização francesa

Enquanto procrastino no trabalho, estava pesquisando sobre a naturalização francesa, por curiosidade. Então resolvi compartilhar o que descobri aqui com vocês.

Depois de cinco anos morando em território francês, você pode pedir a naturalização. Como lá eles são bacanas, não há necessidade de abdicar de sua nacionalidade (no caso, brasileira), então vai funcionar como uma dupla-cidadania.

Para provar que passou os cinco anos morando legamente no país, é preciso apresentar o visto e o exame médico que você faz na imigração quando vai pegar seu titre de séjour, logo quando chega na França. Ah, e claro, pagar uma módica taxa de 340 euros para se tornar francês.

Depois disso, você precisa provar que tem conhecimentos da cultura francesa (pelo que eu entendi se faz uma provinha, na qual é preciso cantar o hino nacional…hahaha) e é fluente da língua – comprovado quando você tem o DALF. Mais informações no site do Service Public.

Enfim, achei mais fácil e mais barato do que tirar a cidadania italiana. Mas continuo na busca dos documentos.

Será que vou ter um desse?

Vantagens da dupla cidadania

Antes de falar sobre as vantagens vou contar uma pequena experiência.

No final do ano passado eu, Gabi, Diandra e André fomos passar o ano novo em Paris, tudo lindo! Para quem nunca viajou é assim: quando você desembarca no aeroporto é preciso passar pela alfândega, tem uma fila para cidadãos da União Europeia e uma para resto do mundo. Bom, chegando a nossa vez de receber o tão esperado carimbo para finalmente poder entrar no país, chegou a parte da humilhação. Tivemos que mostrar o nosso dinheiro, cartões de crédito, comprovante de hospedagem, passagem de volta, além é claro de responder inúmeras perguntas que nos foram feitas. O André ainda teve que explicar um anel meio estranho que estava usando. Enquanto isso a fila da U.E andava que era uma beleza…

Então, além de ser tratado com respeito em toda a Europa, as vantagens são muitas. Ao tornar-se cidadão italiano, você poderá ali residir e gozar dos mesmos direitos e obrigações de quem é natural, seja quanto à moradia, trabalho, estudo, política, assistência médica, enfim, você se torna um italiano.

E tem ainda a parte que mais nos interessa, todo cidadão da U.E tem direito a estudar e concluir formação, trabalhar e residir em qualquer país do grupo, além de não precisar de visto para entrar nos Estados Unidos. Os países que fazem parte da U.E são: Alemanha, Áustria, Bélgica, Chipre, Dinamarca, Eslovênia, Espanha, Estônia, Eslováquia, Finlândia, França, Grã-Bretanha, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Polônia, Portugal, República Checa e Suécia.

E você tá esperando o que pra ir tirar a sua?