Viver fora do país

Eu sou assim: adoro aventuras, desde que elas sejam seguras. Parece contraditório, mas o simples fato de ir para o outro lado do mundo (ok, do outro lado do oceano) já é aventura pra caramba, eu não preciso chegar lá e encontrar um caminhão de dificuldades. Por isso eu leio! Leio matérias, leio blogs, leio.. qualquer coisa sobre a Europa, costumes, curiosidades, experiências. Muitas vezes eu encontro mais do que informação, eu encontro conforto. Encontro relatos de pessoas que já passaram pelo que estou prestes a viver.

Há algum tempo escrevi o post Ah, a Europa… com algumas motivações, para alguém querer ir para a Europa. Mas elas eram fúteis, não escrevi nada além de “lindos quadros e monumentos históricos”. Acontece que ontem entrei no blog Brasil com Z e li um texto que me deixou com o coração batendo aceleradinho só de pensar em tudo o que vou vivenciar por lá. O título é Por que é tão difícil ter vontade de voltar a viver no Brasil? da Glenda Dimuro, que mora em Sevilha, na Espanha. O texto é ótimo, e para você ficar com mais vontade de ler, aqui vai um pequeno trecho:

Quem, depois de aprender a cruzar uma rua pela faixa de segurança sem nem precisar olhar para os lados ou se acostumar a voltar para casa a pé às 3 da manhã, desfrutando do cheiro das flores de laranjeira e do silêncio da madrugada sem precisar olhar para trás, pensa um dia em regressar à sua pátria amada?

Além disso saiu uma matéria hoje no portal da IG dizendo que mais de 3 milhões de pessoas moram fora do país. Um pouco mais de 80 mil está na França. Quer dizer, são 3 milhões de pessoas em busca de algo que não encontraram aqui na terrinha.

Leia o texto do Brasil com Z e me diga que você não tem vontade de viver com mais qualidade e se livrar um pouco da quantidade.