Considerações sobre o curso de francês

Depois de quase três meses de curso na France Langue, acho que já me sinto em condições de fazer uma avaliação. Escolhemos esta escola por ser a mais barata com o selo FLE, e por isso uma das instituições aceitas pelo Consulado da França em São Paulo para conceder o visto de estudante. É evidente que aprendi muito neste período, já que hoje consigo me comunicar com mais facilidade e a compreensão oral também avançou bastante.

Mas como nada nesta vida é perfeito, o curso tem alguns problemas. O primeiro é a falta de organização da própria escola. Para atingirmos as 20 horas semanais exigidas para conseguir o visto, temos 3 ateliês complementares às aulas, com duração de 1h30 cada. A forma como esses ateliês são ensinados acabam tornando-os bastante inúteis. Os conteúdos simplesmente não conversam com o que aprendemos em classe e pessoas de níveis diferentes vão parar na mesma turma — imagino que outras salas estejam lotadas e elas sejam jogadas lá.

As salas são realmente pequenas para a quantidade de alunos que recebem (entre 15 e 18), isto na unidade que estudamos, Léonard de Vinci (a sede), mas existem outras três.

No geral, os professores são bons e possuem conhecimentos em várias línguas, o que facilita quando você está com alguma dúvida que não pode ser perguntada apenas em francês. Só me incomoda muito o fato de não sermos avaliados de nenhuma forma, eles seguem o conteúdo do livro Alter Ego (usado pela Aliança Francesa) e beleza. Se você ficou para trás em algum tópico, nunca vai descobrir.

Para quem quer imergir na cultura francesa, há diversos encontros e passeios antes e depois das aulas, em que além de conhecer pontos turísticos ou lugares curiosos de Paris — obviamente — só se fala francês. Um professor sempre acompanha os interessados nestes passeios.

Ah, se você busca um lugar para fugir de brasileiros, a France Langue não é o mais indicado. Nós somos a segunda nacionalidade com maior número de alunos na escola, só perdendo para os japoneses (eu diria asiáticos em geral), claro.

Aula na sala da Aliki

Festinha de recepção

 

Despedida da minha professora, que saiu de férias

Agências de Intercâmbio… ou não.

É claro que chegar em uma agência de intercâmbios e comprar um pacote com passagem + translado + moradia + escola por xis reais é muito mais fácil. Você não tem preocupação nenhuma, não é mesmo?

Meu irmão está próximo de fazer um intercâmbio de 1 mês na Nova Zelândia, como minha mãe sabe que vou para a França insistiu para que eu trocasse alguns e-mails com a moça da agência, só para ver se não ficaria mais barato e cômodo para mim. Mais cômodo realmente, mais barato é que chega o problema. Não vou falar o nome da agência, isso vocês encontram em qualquer lugar, mas vou colocar aqui os preços para vocês compararem, prestem atenção nos valores em Euros e em Reais.

1 ano de curso de francês – Agência: 7,400 Euros / A nossa: 6,000 Reais

Moradia – Agência: 1,400 Euros Mensais / A nossa: 700 Euros Mensais

E então, vale mais a pena contratar um serviço pronto ou perder algumas horinhas do seu dia para dar uma pesquisada? Sem contar que o prazer de programas toda sua viagem é incrível, desta maneira, mesmo de longe você vai começando a entrar no clima do lugar.

Para quem vai para outros países eu não sei, mas se você vai para a França, a comunidade de Brasileiros na França do Orkut é bem interessante, as pessoas tiram suas dúvidas com quem já mora lá há um tempo e já passou pelas mesmas dificuldades que você encontrará. Eu acho que a Gabi já falou sobre isso, mas vale reforçar a ideia.

Rua do nosso apê durante as férias em Paris