Mais uma Entrevista Campus France

Eu achei que não seria necessário escrever sobre a minha experiência na entrevista do Campus France, a Gabi já havia feito a dela e até publicou aqui no blog sobre isso no post Entrevista Campus France, imaginei que seria basicamente a mesma coisa. Estava enganada.

A entrevista do Campus France serve basicamente para o consulado não perder tempo com as suas motivações para viajar, o trabalho sujo fica nesta primeira etapa. Acontece que teoricamente eles podem te barrar já nesta parte do processo, por isso eu estava muito nervosa! O que importa no final das contas é que você saia de lá com um papelzinho dizendo que você pode se encaminhar ao consulado. No meu caso, o papel me foi entregue assim que eu sentei para conversar com a minha entrevistadora, então eu já havia passado sem nem mesmo abrir a boca!!

A senhora que me entrevistou era a francesa mais fora dos padrões que vocês podem um dia vir a conhecer. Entre uma pergunta e outra me dava dicas de viagem, de música, de Paris.. até mesmo uma lista de músicas francesas ela disse que ia me enviar por e-mail para que eu pudesse treinar meu francês com qualidade (e ela realmente passou!!). Ficamos mais de uma hora conversando, batendo um papo literalmente, e no meio disso ela preenchia os papéis para enviar meu dossiê ao consulado. O que eles querem saber é seu nível de estudo, seus planos na França, projeto de estudos… nada muito difícil de responder.

Eu já li em diversos lugares que essa entrevista é só mais uma forma de arrancar dinheiro do pobre viajante, eu não sei se essa teoria é válida, mas que é uma perda de tempo e dinheiro.. isso é. Mas que a senhora que me entrevistou era um amorzinho, isso eu também não posso negar!

No final da entrevista enquanto nos despedíamos ela me disse “Boa sorte em Paris, você vai se dar bem lá, tem cara de francesa”.

Entrevista Campus France

Para estudar na França, todos precisam passar pelo processo do Campus France, uma espécie de órgão do governo francês. No site você encontra um guia que ensina como preencher os formulários na internet e dar continuidade ao processo. É só passando pelo Campus France que você pode, então, ir até o consulado francês pedir o visto de estudante (isso vale para todos, de curso de francês a doutorado).

Depois de preencher os formulários, enviar a documentação pedida e pagar a módica (só que não) taxa de R$ 335, você estará apto a passar por uma entrevista (agendada por e-mail), em que o entrevistador definirá se você pode ou não ir para o consulado. Como estou planejando minha estadia em Paris há um ano, já havia lido em diversos blogs e comunidades que essa entrevista era apenas uma burocracia imbecil para ganhar dinheiro fácil. E é.

Minha entrevista foi agendada por eles na unidade da Aliança Francesa na República. Estive lá ontem, para ser entrevistada pela simpática Lúcia Claro. Eu não estava nervosa, porque sabia que era um procedimento de praxe, mas a entrevistadora tentou me deixar bastante à vontade.

Papel que comprova a conclusão do processo Campus France e deve ser apresentado no consulado francês

Depois de anotar meus dados, ela começou a seguir um roteiro de perguntas, mais ou menos assim:

– Fala inglês?

– O que vai fazer na França? Duração do curso?

– Descreva seu percurso acadêmico desde o ensino médio

– Trabalha na área de formação?

– Por que estudar francês na França e não no Brasil?

– No que essa experiência vai contribuir para sua vida profissional?

– O que pretende fazer quando voltar para o Brasil?

– É independente? Não terá problemas para viver sozinho em um país estrangeiro?

 

A conversa toda durou por volta de 30 minutos. O interessante é sempre deixar bem claro que você pretende mesmo voltar para Brasil, não importa se essa não é sua intenção. Ter um projeto de estudos bem definido também é bacana. Eu, como sei bem o que quero fazer lá (francês e depois mestrado em História da Arte), passei bastante segurança em minhas respostas e fui ganhando a aprovação da entrevistadora, que pareceu bem satisfeita com meu projeto de estudos.

Ao final, ela assina um papel que é preciso mostrar no consulado, provando que você concluiu o processo Campus France. Agora é só esperar a entrevista no consulado francês, em 26 de abril. Como meus pais não vão me bancar, estou um pouco apreensiva quanto a grana, mas acho que vai dar tudo certo.

Sobre o apartamento, até agora não conseguimos alugar. As imobiliárias são bastante enroladas e um dos proprietários, que ficava com o apartamento vago em abril, não quis nos aceitar apenas em junho.

Para acessar os guias Campus France, clique aqui