Estereótipos – Francês é mal-educado?

Sabe aquele seu amigo que passou uns dias em Paris e adora voltar para o Brasil contando para todo mundo como foi maltratado? Aquela tia velha que não fala nem português direito e reclama que ninguém a entende?

Três meses aqui são suficientes para dizer que isso é balela!

Na verdade eles são educados ao extremo, são tão educados e gentis que você se torna uma pessoa melhor por sentir vergonha de ser “mal-educada”. Eu não estou dizendo que nunca fui atendida por um caixa de supermercado mais grosso ou que nunca levei uma trombada na rua sem ouvir um excuse moi, mas não sejamos hipócritas, isso tem de monte no Brasil!

Exemplo maior de toda essa educação, na minha humilde opinião, é o metrô. É fácil identificar quem é turista e quem é nativo. Franceses esperam você descer do vagão SEMPRE antes de entrar. Normalmente quando você sai das estações de metrô, deve passar por umas portas super pesadas, mas não se preocupe, o francês sempre vai segurar a porta para você.   

O que o francês não gosta é de falta de educação, e aí meu querido, eles não toleram mesmo! Vão bufar, reclamar e até mesmo dar uma xingada!

Como, por exemplo, uma vez em um restaurante entraram quatro velhas argentinas, a garçonete super simpática mandou um Bonjour. As velhas responderam (em espanhol, obviamente, porque todo mundo é obrigado a falar espanhol na França) que queriam quatro lugares. A garçonete mais uma vez olhou para elas e disse BONJOUR. Nada de resposta. Claro que o atendimento das velhas argentinas foi uma bosta.

Enfim, se você quer educação dos franceses, seja educado primeiro.

Considerações sobre o curso de francês

Depois de quase três meses de curso na France Langue, acho que já me sinto em condições de fazer uma avaliação. Escolhemos esta escola por ser a mais barata com o selo FLE, e por isso uma das instituições aceitas pelo Consulado da França em São Paulo para conceder o visto de estudante. É evidente que aprendi muito neste período, já que hoje consigo me comunicar com mais facilidade e a compreensão oral também avançou bastante.

Mas como nada nesta vida é perfeito, o curso tem alguns problemas. O primeiro é a falta de organização da própria escola. Para atingirmos as 20 horas semanais exigidas para conseguir o visto, temos 3 ateliês complementares às aulas, com duração de 1h30 cada. A forma como esses ateliês são ensinados acabam tornando-os bastante inúteis. Os conteúdos simplesmente não conversam com o que aprendemos em classe e pessoas de níveis diferentes vão parar na mesma turma — imagino que outras salas estejam lotadas e elas sejam jogadas lá.

As salas são realmente pequenas para a quantidade de alunos que recebem (entre 15 e 18), isto na unidade que estudamos, Léonard de Vinci (a sede), mas existem outras três.

No geral, os professores são bons e possuem conhecimentos em várias línguas, o que facilita quando você está com alguma dúvida que não pode ser perguntada apenas em francês. Só me incomoda muito o fato de não sermos avaliados de nenhuma forma, eles seguem o conteúdo do livro Alter Ego (usado pela Aliança Francesa) e beleza. Se você ficou para trás em algum tópico, nunca vai descobrir.

Para quem quer imergir na cultura francesa, há diversos encontros e passeios antes e depois das aulas, em que além de conhecer pontos turísticos ou lugares curiosos de Paris — obviamente — só se fala francês. Um professor sempre acompanha os interessados nestes passeios.

Ah, se você busca um lugar para fugir de brasileiros, a France Langue não é o mais indicado. Nós somos a segunda nacionalidade com maior número de alunos na escola, só perdendo para os japoneses (eu diria asiáticos em geral), claro.

Aula na sala da Aliki

Festinha de recepção

 

Despedida da minha professora, que saiu de férias

Delícias de Paris – Berko Cupcakes

A primeira vez que estivemos em Paris, estávamos passeando por Monmartre e encontramos uma Aliki Ribaslojinha de cupcakes bonitinha, decidimos parar e comer… pronto! Nunca mais conseguimos tirar aquele doce maravilhoso das nossas cabeças.

O nome da loja é Berko e ela só tem três endereços em Paris, mas fica a dica que vale a pena. Existem muitas opções de sabores como, por exemplo, laranja com chocolate, mirtilo, framboesa (esse está em meu coração para sempre) e muitos outros. Além de cupcakes, você pode comer cheesecake, tortas e tomar um café.

O atendimento é quase sempre bom, eles falam inglês e tem lugares para sentar.

Não é exatamente o cupcake mais barato que você vai comer, eles são pequenos e custam 2,20 €, mas é gostoso, tá?

Monmartre – 31, Rue Lepic – Metro Blanche (linha 2)

Marais – 23, Rue Rambuteau – Metro Rambuteau (linha 11)

La Defénse – Shopping les Quatre Temps – Metro La Defénse (linha 1)